EVANGELIZANDO

Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Serra Branca-PB. Semeando a Palavra e colhendo frutos para o Reino de Deus. Bem Vindo (a)! Deixe o seu comentário!

segunda-feira, 25 de março de 2013

Entrevista ao Pastor Marco Feliciano


Sabrina Sato do Pânico na Band entrevista Pastor Marco Feliciano

JÚLIA ÁVILA 25 DE MARÇO DE 2013
Sabrina Sato do Pânico na Band entrevista Pastor Marco Feliciano
Após entrevistar o pastor Silas Malafaia e o ativista gay Jean Wyllys, a apresentadora Sabrina Sato, do programa Pânico na Band, esteve no gabinete na Câmara dos Deputados, do pastor Marco Feliciano, para entrevistá-lo. A entrevista focou principalmente os recentes debates sobre a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara e a polêmica sobre as declarações do parlamentar contra o homossexualismo.
O pastor da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento falou sobre as acusações de racismo e homofobia e enfatizou que não é racista e que não tem nenhum tipo de preconceito contra homossexuais. “Eu nunca disse que negro é amaldiçoado”, explicou Feliciano. “A Bíblia é um livro muito complexo, quando eu estava dando este ensino pelo Twitter uma das vertentes intelectuais que eu citei foi esta de que há um pensamento de que o continente africano foi formado por um dos descendentes de Noé e esse havia sido amaldiçoado. Eu estava dando um ensino nunca disse que esta era a minha posição”, continuou.
Sabrina queria saber se o pastor havia casado virgem. “Posso não responder esta pergunta? É constrangedora! Sou um ser humano normal, tenho as minhas necessidades, tenho a minha vida. Nem toda a vida eu fui evangélico. Eu sou ortodoxo neste assunto, pra mim sexo depois do casamento”, respondeu Feliciano.
Marco disse também que já foi usuário de drogas e que teria sido a dependência química que fez o conferencista procurar a igreja. Feliciano também falou sobre as dificuldades na infância e sobre a discriminação que sofreu por ser pobre e engraxate.
Sobre o ativista gay Jean Wyllys e as divergências entre os parlamentares, o pastor respondeu que sempre procurou dialogar com Wyllys, mas ele sempre o alfinetou no Twitter.
“Os evangélicos não são contra gays, eu não sou”, frisou o pastor.
Sobre ofertas e o polêmico vídeo em que Feliciano aparece pedindo a senha do cartão de créditos de um fiel, o pastor respondeu que também tem senso de humor e que a igreja também usa tecnologia por isso os ofertantes usam o cartão para fazer doações.
Assista a entrevista:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário