EVANGELIZANDO

Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Serra Branca-PB. Semeando a Palavra e colhendo frutos para o Reino de Deus. Bem Vindo (a)! Deixe o seu comentário!

segunda-feira, 24 de maio de 2010

A desgraça do legalismo e a liberdade da Graça






EXTREMIDADE NÃO EQUILÍBRIO SIM


Eu sempre fui contra o legalismo e o combato no púlpito e fora dele. O legalismo impõe regras, cargas pesadas, doutrinas, preceitos e conceitos praticamente impossíveis de serem cumpridos. Ele é o extremo do qual devemos fugir. Ele se confunde com o farisaísmo. No entanto, por não acharmos o equilíbrio e a moderação, chegamos ao outro extremo, que é o mundanismo. Temos confundido a liberdade, que Cristo nos dá, com a carnalidade. Ausência de legalismo não quer dizer mundanismo. O número de evangélicos no Brasil tem crescido alarduamente, mas qual a qualidade desse crescimento? Quantos desses assustadores 30% convertidos da população vão para o céu? Com o “não me julguem porque eu sou de Deus e só devo explicação a Ele” como proteção, hoje em dia se pode de tudo nas igrejas. Quando alguém se converte há mudança verdadeira por dentro (antes) e por fora (depois). Veja Mateus, Zaqueu, Saulo de Tarso, “o filho pródigo”, Maria Madalena e outros mais. Não há mais diferença entre o mundo e a igreja hoje em dia. Há muito “crente” fazendo tatuagem, usando piercing,e o crente emo? falando gírias (“malandro”, “pô” - abreviação de um palavrão nojento – “CDF”, etc.). As músicas são as mesmas, os lugares freqüentados, os programas de TV, as roupas indecentes,sexo fora do casamento.   Cadê a “paz do Senhor, irmão”, a Bíblia debaixo do braço, as línguas estranhas e a cruz rústica e pesada? Muitos levam a cruz como Jesus mandou, mas as de hoje são leves e acolchoadas e a madeira é importada! Onde está o amor pelas almas perdidas e o ardente desejo de ir para o céu? (I Co. 15.19). Não será de se estranhar se alguém mandar o “anjão” parar de tocar a trombeta e voltar para o céu, na vinda de Cristo, porque está curtindo a vida. Falta compromisso, oração, jejum, renúncia, quebrantamento, temor. Moisés, Elias, Josué, João Batista e Jesus nunca aceitaram o meio termo ou que alguém ficasse em cima do muro. Mandaram escolher entre Deus e o diabo, a luz e as trevas, a igreja e o mundo, a devoção e a idolatria, a vida e a morte, o caminho estreito e o largo, a porta apertada e a espaçosa, a graça e a desgraça. Cristão é aquele que tomou a decisão certa pela fé! Veja Mt.7.13-14. “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas me convêm; todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma”. I Co. 6.12. Liberdade não é carnalidade! Não dá para nos calarmos enquanto há “crentes” fazendo sexo antes do casamento, que não dão o dízimo, artistas que “se convertem” mas continuam falsos, gananciosos por dinheiro, cobrando para ir cantar ou dar testemunho na Igreja, tirando a roupa na tv e em fotos e mentindo com a desculpa que é seu trabalho (e o traficante que se converte e só sabe “traficar”? Deus vai entender se ele continuar nessa vida, já que não tem estudo e não sabe fazer outra coisa?). O resultado dessa igreja fria e mundana é que o doente não é curado, o morto não ressuscita, os dons não se manifestam, o chão não treme, a família não se converte e há mais gente se desviando do que se convertendo. Essa palavra não é de condenação - que traz culpa e castigo, mas de repreensão - que nos livra do mal e do erro. Faça alguma coisa! Seja um cristão de verdade! Dê frutos dignos de arrependimento! Até a próxima! *                                                                                                                                 AGUARDE, BREVE ESTAREMOS FALANDO O QUE É EMO.   
COMO SE COMPORTAM, SUAS MUSICAS, SUAS VESTES, COMPORTAMENTO SEXUAL, SUA LINGUAGEM.

2 comentários:

  1. Em resposta ao seu e-mail, estou lhe fazendo uma visita.
    Muito pertinente esta postagem. O Evangelho não é um peso, muito menos uma prisão é por isso que o salmista ora: torna a dar-me a alegria da salvação e sustenta-me com um espirito voluntário.

    http://cleuzano.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Luciano Guimarães2 de junho de 2010 17:42

    "O reino de Deus não é um conjunto de regrinhas, mas e paz, justiça e alegria no Espírito Santo. A salvação não é decorrente do cumprimento de regramentos humanos, mas é pela graça, mediante a fé, para que ninguém se gloria senão na cruz. Santidade não é o cumprimento de uma série de “não toque”, “não prove”, “não manuseie”, “não escute”, “não assista”, mas sim fruto de um desejo de ter um caráter parecido com o caráter de Deus. Santidade é fruto de uma decisão de buscar ser parecido com Jesus em seu caráter".

    MARAVILHOSA POSTAGEM PR. ANTÔNIO!
    Q DEUS CONTINUE LHE ABENÇOANDO, O FAZENDO CRESCER CADA DIA + NA GRAÇA E CONHECIMENTO DO sENHOR JESUS!
    ÔXALÁ TODOS OS LÍDERES VENHAM TER ESTA VISÃO...
    FORTE ABRAÇO
    FIK NA PAZ...

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário